terça-feira, 24 de julho de 2012

Capítulo 8 - As long as you love me

                  Pesadelo, eu estava vivendo um pesadelo no meu próprio sono, ou melhor dizendo, na minha própria realidade. Cada lágrima que escorria pelo meu rosto, cada suspiro aflito meu, me deixavam pior, eu estava com medo, eu estava preocupada e totalmente aflita.
                  Eu havia adormecido por tanto tempo que meus olhos não conseguiam mais se fechar, eles estavam ardendo como nunca, eu estava elétrica, e a preocupação só piorou meu estado.
       Fiquei lá, sozinha por mais de duas horas, não havia nenhum relogio ou algo que me indicasse as horas, mas eu estava tão perdida que havia começado a contar na minha cabeça os segundos que se passavão, eu estava querendo fugir daquele lugar, mais como de custume, só acordamos na melhor parte do sonho, isso obviamente não estava nem perto de um final bom. 
       Derepente a porta se abriu, era ninguém mais ninguém menos que ela; Amanda, ela entrou seria e me levantou do chão usando suas unhas que pareciam penetrar na minha pele de algum modo, eu nunca havia a visto assim antes, mas eu também não fazia ideia de que ela havia alguma coisa com meu pai, desde sempre foi impossivel confiar totalmente em alguém, todos a minha volta poderiam estar mentindo, e eu acreditando, mas eu tinha completa certeza de que Demi era diferente, por isso ela é tão importante pra mim.
         Por alguns segundo fechei meus olhos, respirei fundo e disse:
         – Onde ele está?
        – Traga-o. - então, Nathan foi jogado para dentro, olhei para seu rosto, ele estava muito ferido, me olhou com dor, eu sentia o esforço que ele fazia para manter seus olhos abertos, eu não sabia o que fazer a não ser chorar, ela estava passando dos limites, ela pode tratar todos assim, como fantoches, mas não, ela não poderia me tratar assim.
         – Porque fez isso? Eu concordei em trabalhar pra você, o que mais você quer? quer que eu venda minha alma pra você? deixa ele em paz, se tem alguém aqui que mereça isso sou eu por ter sido tão burra a ponto de acreditar naquela farça toda.
         – Isso é o que pode acontecer com vocês dois se tentarem alguma gracinha, só um aviso brevio, ele já aguentou coisa pior, acredite - ela caminhou até Nathan. - ainda não provou do veneno todo. - disse caminhando em direção a porta.
         – Espera! - disse.
         – O que é? - ela disse ainda virada de costas.
         – Não irá nos tirar daqui? ou iremos permanecer aqui pro resto das nossas vidas? póis é o que tá aparecendo - falei, em um tom irônico.
          Você não mudou mesmo, né? continua a mesma pirralha metida e arrogante de sempre. - ela disse se virando em minha direção.
         – Você não tem direito de me julgar, você também continua o mesmo lixo de anos atrás, saiba que eu não estou fazendo isso por você, e nem pela minha sobrevivência.
         – Está fazendo isso pela sua namorada, não é? - ela custiu aquelas palavras na minha cara, tentei me controlar para não acabar com aquela piranha ali mesmo.  NÃO se meta na minha vida, entendeu vadia? - soletrei "não". 
         – Quase me esqueci, ela mandou te entregar isso. - então ela retirou de seu bolso um papel mal amassado com a seguinte mensagem: ''Cheguei mais cedo hoje, esperava te encontrar desta vez, mas como sempre você me deixou na mão, estou voltando pra casa, já peguei todas minhas coisas, não se preocupe; não mexi em nada que não deveria. – Demetria.'' eu não acreditava, mas era a letra de Demi, ela poderia mexer com qualquer um, menos com ela. Eu não sabia realmente oque fazer, não sabia oque poderia acontecer, mas eu seria capaz de qualquer coisa para manter Demetria segura e longe de tudo isso.
         – Podemos? - perguntei guardando o papel em meu bolso, secando as lágrimas que pelo meu rosto brincavam e apontando minha mão direita para a porta enquanto caminhava em direção a Nathan, eu não queria mais chorar, mais era tão doloroso ver tudo aquilo acontecendo, me deixando tão confusa e ao mesmo tempo tão forte.
         Ela deu uma risada forçada e baixa, era obvio que ela queria festejar o momento, ela estava conseguindo me tirar do sério, mas uma coisa eu sabia: aquilo não ia acabar do jeito que ela queria.

         Bom gente, desculpe a demora. Eu sei que tá uma droga,e pequeno, eu tentei escrever o maximo que pude, mas eu estou com muita dificuldade pra escrever, estou sem criatividade nem inspiração, espero que entendão, e obrigada pelos comentários fofos, continuem comentando, isso me deixa com mais vontade para escrever, saber que alguém tá lendo e gostando é muito bom. Vou tentar postar o proximo capítulo logo, beijos.

4 comentários:

  1. Não importa que tenha demorado, pra mim fico ótimo!!! O que vai acontecer agora?? Táh me deixando cada vez mais curiosa >.<
    beeeijos!

    ResponderExcluir
  2. Perfeito Nova Seguidora.....
    divulga o meu blog?
    http://tudoqueeumaisqueroevoce.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. fic perfeita u.u
    divulga amre?
    http://ghost--of--you.blogspot.com.br/
    xox

    ResponderExcluir
  4. eei, amei seu blog, parabéens, é lindo, já estou seguindo!=D
    Segue o meu?
    depooisdosdoze.blogspot.com

    ResponderExcluir